18º CONGRESSO DOS CORRETORES: CENÁRIO DO PAÍS FAVORECE O SETOR DE SEGUROS

Voltar
A+
A-

Por Coordenadoria de Comunicação Social   |   16 de Outubro de 2013

Representante do ministro da Fazenda, Guido Mantega, o secretário executivo do Ministério da Fazenda, Dyogo Henrique de Oliveira, elogiou a atuação do mercado de seguros, destacando que o setor cresce de maneira pujante. “Gostaria que todas as indústrias do País tivessem taxas de crescimento como a de vocês, minha vida seria bem mais fácil”, brincou.

Em seguida, o secretário comentou dados da economia nacional, que, segundo ele, está saudável, se desenvolve de maneira estabilizada e apresenta indicadores que colocam o Brasil em ótima posição se comparado à realidade econômica mundial, que vem sofrendo seguidos reveses.

Inflação sobre controle; a saída, em 2012, de 3,5 milhões de brasileiros da pobreza para a faixa de renda; projeção de crescimento do PIB de 2,5% para este ano; 5,3% de taxa de desemprego, considerada baixíssima; renda crescendo 2,7% acima da inflação; investimentos estrangeiros da ordem de U$ 60 bilhões até o fim do ano; e 211 mil empregos formais gerados em setembro foram alguns números apresentados, que confirmam as boas perspectivas para o futuro.

De acordo com Dyogo, esses indicadores favorecerão o ciclo de expansão do mercado de seguros e, consequentemente, da atividade de corretagem, fundamental para o atendimento das necessidades do consumidor.

Ele se mostrou particularmente entusiasmado pela ocorrência, em paralelo, do 2º Congresso de Saúde Suplementar. “Os corretores precisam diversificar sua atuação e começar a dinamizar outros produtos, como os de saúde suplementar, que devem ter sua oferta ampliada para suprir a necessidade da sociedade”, recomendou.

O secretário também lembrou a recente aprovação pela Susep da comercialização de seguros por meios remotos, o que chamou de “tendência em todos os setores, inexorável”. Dentro desse cenário, aconselhou os corretores a usarem a criatividade para superar os novos desafios.

Ao finalizar, afirmou que os microsseguros começam a se desenvolver e representam um espaço importante de expansão para o setor. “Temos um grande contingente de pessoas que não podem ter acesso aos seguros tradicionais, mas que podem adquirir microsseguros”.

Outras Notícias