19º CONGRESSO DOS CORRETORES: MERCADO SEGUE OTIMISTA APESAR DA CRISE ECONÔMICA

Voltar
A+
A-

Por Coordenadoria de Comunicação Social   |   10 de Outubro de 2015

Em 2009, os Estados Unidos sofriam com uma retração de 2,8% no PIB, uma taxa de desemprego de 10% e uma queda de 53% na bolsa de Nova Iorque. Em seis anos a situação se inverteu, com alta de 2,5% no PIB e de 30% na bolsa de Nova Iorque, além de um índice de desemprego equivalente a 5,1%. Os números foram apresentados pelo jornalista da Globo News, Dony De Nuccio, para mostrar que é possível também para o Brasil superar a atual crise econômica.

Para De Nuccio, que ministrou a segunda palestra do dia, em situações adversas podem surgir ideias inovadoras, como a Airbnb, que foi criada em 2008 e vale, hoje, US$ 25 bilhões, e o Whatsapp, criado em 2009, que foi vendido por US$ 22 bilhões ao Facebook. O jornalista acredita que o Brasil pode seguir os passos dos norte-americanos, se as empresas souberem ajustar suas estratégias e executar novas ideias.

O presidente da HDI, João Francisco da Costa, também compartilha do otimismo. O executivo acredita que, com a ascensão da classe média brasileira de 38% para 54%, entre 2003 e 2013, o mercado interno continuará sendo “o propulsor da economia”. “É um momento desafiador, mas já passamos por situações piores. Vamos precisar de criatividade e muito trabalho para manter as conquistas alcançadas nos últimos anos”, avaliou.

Já Fabio Luchetti, presidente da Porto Seguro, alertou para as dificuldades advindas da combinação de fatores não mapeados. “A crise na aviação civil, por exemplo, não foi causada pela concorrência dentro da própria indústria, como se poderia imaginar, mas pelo crescimento das teleconferências”, comparou. A comercialização on-line, que tem se afastado do conceito de venda consultiva, e a concentração na carteira de automóveis foram apontadas pelo executivo como fatores que podem gerar essas crises não mapeadas para o mercado de seguros.

No âmbito político, o deputado federal Lucas Vergilio atualizou sobre os movimentos do Congresso no sentido de ampliar as oportunidades para o corretor de seguros. Entre os projetos de autoria do parlamentar, encontram-se em tramitação o PL 10/2015, que regulamenta o VGBL Saúde, já aprovado na Câmara, o PL 3139/2015, que coíbe a ação de cooperativas e associações de seguros, o PLP 01/2015, que institui o seguro obrigatório de responsabilidade civil de empresas, proprietários e promotores de eventos, o PL 1700/2015, que trata da identidade profissional do corretor de seguros, e o PL 3223/2015, que cria a atividade e profissão de corretor de planos privados de saúde suplementar.

#NotíciasDoCongresso: Você acompanha tudo o que acontece no 19º Congresso dos Corretores de Seguros em nosso Facebook, Twitter e Instagram.

Outras Notícias