Cláusula de controle em sinistros pode aprimorar subscrição

Voltar
A+
A-

Por Segurogarantia.net   |   16 de Agosto de 2013

“Quanto maior a exposição ao risco, maior é o interesse do ressegurador em participar da regulação por meio da cláusula de controle”. Essa foi uma das abordagens da advogada Daniele Fiuza, que desde 2011 é responsável pelo Departamento de Sinistros da Austral Seguradora e Resseguradora, em apresentação realizada durante o Seminário de Resseguro - A Arte de Elaborar o Contrato.

O primeiro dia do evento, promovido pela Escola Nacional de Seguros, aconteceu no dia 13 de agosto, em São Paulo. Na ocasião, Daniele lembrou que a cláusula de controle não é a mais frequente desde a abertura do mercado de resseguro, perdendo para a cláusula de cooperação. No entanto, acompanhar de perto a regulação de sinistros é importante no caso de grandes capacidades oferecidas e valores expressivos envolvidos, de modo que a situação sempre traz a chance de melhorar a subscrição.

“O sinistro é sempre um momento do aprendizado. Na semana passada, por exemplo, recebemos o aviso de sinistro por causa da concretagem de uma obra com utilização de um novo material disponível no mercado, mas que tem o inconveniente de ser inflamável. Isso pode gerar  uma melhoria do questionário de subscrição, no sentido de verificar se outra obra a ser segurada vai ou não utilizar tal substância”, explica Daniele.

Mas ela lembra que o ressegurador precisa antes analisar se tem estrutura para atender as eventuais demandas. “Além disso, a regulação mais próxima ao segurador é interessante no caso de experiência precária do cedente em determinados riscos, novos produtos ou linhas de negócios”, acrescenta.

Outras Notícias