Corretagem na era digital foi tema de debate

Voltar
A+
A-

Por Coordenadoria de Comunicação Social   |   20 de Outubro de 2016

Como a tecnologia pode ser uma aliada dos corretores? O painel “Futuro da corretagem de seguros“ debateu o assunto entre dirigentes de seguradoras, que acreditam que o setor pode aproveitar os meios digitais como oportunidade de crescimento.

O presidente da Tokio Marine no Brasil, José Adalberto Ferrara, acredita que o mercado precisa trabalhar de forma integrada para fomentar e motivar os corretores a desenvolverem seus canais de venda. “Se atuarmos juntos, conseguiremos dobrar a participação do nosso mercado na economia”, destacou.

Para o diretor presidente da Zurich Brasil Edson Luís Franco, o mercado precisará se modernizar diante das novas tecnologias e da nova geração de consumidores. Ele afirma que o investimento em tecnologia e qualificação pode transformar um corretor em um novo tipo de profissional, que ainda não existe no mercado. “Podemos escolher entre ser agentes ou vítimas dessa mudança. O mercado no Brasil tem que se modernizar”, afirmou.

As transformações também são bem vistas pelo presidente executivo da SulAmérica, Gabriel Portella. O executivo acredita que os corretores precisam se adaptar às mudanças, para que os impactos sejam positivos no futuro. “O mundo está mudando rápido e temos que nos adaptar, corretores e seguradores”, ressaltou.

De acordo com o presidente da Allianz Seguros, Miguel Perez Jaime, é preciso renovar. Para ele, os corretores e seguradoras precisam se unir para a criação de novas estratégias de negócios. “Sozinho, o corretor terá dificuldades para brigar no mundo digital. Temos que trabalhar em parceria”, concluiu.

O presidente do Grupo Sompo Seguros, Francisco Vidigal Filho, destacou que é preciso confiar no potencial dos corretores e de suas empresas. “Nós acreditamos nesse mercado e no corretor de seguros”, pontuou.

Os impactos da tecnologia e da internet sobre a profissão de corretores também foram avaliados na palestra “Mitos e verdades sobre a distribuição de seguros no Brasil”.

Para o diretor Comercial da Bradesco Seguros, Isair Paulo Lazzarotto, as ferramentas digitais são a tendência do mercado. “As novas tecnologias agregam a conveniência do consumidor, gerando novos negócios e atendendo às suas expectativas”, explica.

Segundo o diretor de Produção da Porto Seguro, Rivaldo Leite, a ideia de que os consumidores deixarão de precisar do corretor para comprar seus seguros é um mito. “O cliente, independente do canal, quer ser bem orientado”, comentou.

Outras Notícias