Rio debateu Lei do Desmonte

Voltar
A+
A-

Por Coordenadoria de Comunicação Social   |   27 de Agosto de 2015

Cerca de 200 pessoas assistiram à segunda edição do “Seminário sobre a Lei do Desmonte, Acidentologia e Vitimação no Trânsito”, realizada no último dia 19 de agosto, no Windsor Atlantica Hotel, em Copacabana, no Rio de Janeiro (RJ). O primeiro evento ocorreu em São Paulo (SP).

Organizado pela Fenacor com apoio da Escola e da FenSeg, o seminário foi prestigiado por presidentes de Sincors, representantes de seguradoras, corretores de seguros e jornalistas. As atividades foram abertas por Paulo dos Santos, presidente da Ibracor, que chamou para compor a mesa solene o presidente da Fenacor, Armando Vergilio, o presidente do Detran-RJ, José Carlos dos Santos Araújo, o diretor do Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), Claudio Contador, o diretor executivo da FenSeg, Neival Freitas, e o diretor-presidente da Seguradora Líder-DPVAT, Ricardo Xavier.

O primeiro a falar foi Armando Vergilio, autor da lei 12.977, em vigor desde maio deste ano e que regula e disciplina a desmontagem de veículos automotores terrestres. Segundo ele, a lei cria uma cadeia de benefícios para a sociedade, pois atua em diversas frentes. “Ao coibir o comércio clandestino de peças vamos reduzir o número de roubos e furtos a veículos, gerar mais segurança no trânsito e reduzir o número de acidentes e mortes, já que os veículos serão equipados com peças de procedência”, explicou.

As áreas econômica e ambiental também terão ganhos, pois novos empregos formais serão gerados pelas empresas de desmonte regulamentadas pelos Detrans. O descarte e tratamento de resíduos sólidos e fluidos dos automóveis também está contemplado na lei. “Para o mercado de seguros, cria-se uma nova janela de oportunidade para o seguro popular, já que as seguradoras poderão usar as peças oriundas da desmontagem legal, que terão um selo de controle”, acrescentou Armando.

Em um ano, “Lei do bem” estará em vigor no Rio

O presidente da Fenacor destacou, ainda, a atuação da Escola, afirmando que a Instituição “agrega muito valor ao mercado na produção de conhecimentos”. Antes de terminar, fez um apelo ao presidente do Detran-RJ para que ajude na aplicação e no cumprimento da lei. “A presença do Estado é absolutamente necessária na autorização e fiscalização das empresas, o Detran é peça fundamental neste processo”.

Em seguida, José Carlos dos Santos Araújo, presidente do Detran-RJ, fez um breve pronunciamento, no qual assumiu o compromisso de cumprir a lei em pouco tempo. “Em menos de um ano o Detran estará pronto para implantar essa lei que é do bem”, anunciou.

A parte técnica do seminário contou com dois painéis, o primeiro conduzido por Neival Freitas e que teve como tema “Formulação e Estruturação da Lei do Desmonte de Veículos”, e o segundo “Acidentologia e Vitimação no Trânsito”, coordenado por Claudio Contador e que contou com a participação de Ricardo Xavier e José Aurélio Ramalho, este último presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária.

Solução passa pela educação

Durante sua explanação, Claudio Contador abordou o viés econômico de mortes e incapacitações prematuras ocasionadas por acidentes viários no Brasil, que retiram da cadeia produtiva dezenas de milhares de pessoas por ano. “Entre 35 e 40 mil mortes são registradas anualmente no País, isso tem um efeito direto e negativo no valor do produto perdido”, explicou.

Para Contador, diversas ações podem ser criadas no sentido de prevenir e mitigar esses custos econômicos. “Campanhas de cultura, educação no trânsito e prevenção de acidentes são algumas delas. A Lei Seca e os limites de velocidade funcionam bem, mas podemos melhorar a qualidade das vias, aumentar a fiscalização técnica dos veículos e punir com mais rigor os causadores de acidentes”, finalizou.

Também estiveram presentes pela Escola a diretora de Ensino Técnico, Maria Helena Monteiro, a superintendente de Comunicação e Marketing, Carla Pieroni, e o coordenador da Graduação em Administração no Rio de Janeiro, José Varanda.

A próxima edição do seminário está marcada Porto Alegre (RS), em 2 de setembro. Outras capitais também receberão o evento. Para se inscrever e acompanhar a agenda atualizada os interessados devem acessar a área de eventos do site.

Outras Notícias