Seguros é opção de carreira para jovens talentos

Voltar
A+
A-

Por Coordenadoria de Comunicação Social   |   5 de Novembro de 2013

O setor de seguros, acostumado a perder talentos para o mercado financeiro, considerado mais atrativo, está vendo essa realidade mudar. No último Encontro de RH do Mercado Segurador, organizado pela Escola, em outubro passado, profissionais de recursos humanos perceberam uma mudança de direção. O setor cresce a taxas superiores às da economia e passou a chamar mais atenção.

Além dos números importantes conquistados nos últimos anos, o mercado é alvo de curiosidade por contar com uma Escola totalmente dedicada à formação de seus quadros. “Estimulados pelo fato de a Graduação em Administração + Seguros e Previdência oferecer mais do que um bacharelado, uma linha de formação em seguros, os jovens passam a considerar a possibilidade de uma carreira nesta área”, afirma Paulo Cesar Teixeira, superintendente Administrativo Acadêmico da Escola.

O perfil de alunos que ingressavam no curso quando este foi lançado incluía, principalmente, profissionais mais experientes, que já atuavam no setor e aproveitavam a oportunidade para obter uma educação de grau superior e, assim, melhorar sua produtividade. Hoje, é possível observar neste grupo jovens que acabaram de concluir o ensino médio e que veem o mercado de seguros como primeira opção de carreira.

“Nossos professores, a maioria com grau de mestre ou doutor e vasta experiência profissional, preparam os alunos para o mercado de trabalho, sem detrimento da base acadêmica. O resultado é que, antes de concluir o curso, grande parte consegue uma oportunidade profissional ou de estágio”, conta Paulo Cesar.

Atualmente, o curso está com inscrições abertas para o processo seletivo, que visa ao preenchimento de 50 vagas no Rio de Janeiro e 50 em São Paulo. A mensalidade é de R$ 660,00 na capital fluminense e de R$ 690,00 na paulista, com desconto de 10% para pagamentos efetuados até dia 10 de cada mês. Mais informações no www.esns.org.br/processoseletivo.

Nobel de Economia

O diretor acadêmico e professor da Escola Nacional de Seguros, Claudio Contador, viu um dos orientadores de sua tese de doutorado na Universidade de Chicago, o professor Eugene Fama, receber o Prêmio Nobel de Economia deste ano, juntamente com Lars Peter Hansen e Robert Shiller.

Claudio é talvez o único brasileiro a ter trabalhado diretamente com o professor Fama, um dos economistas mais citados por seus colegas devido aos trabalhos sobre eficiência de mercado. “Seus trabalhos são um clássico para todos os estudantes de finanças”, afirma Claudio.

Recentemente, Fama revisou algumas de suas ideias sobre eficiência de mercado, a partir da crise de 2008. Em 2010, em uma entrevista concedida à revista New Yorker, defendeu que a grande crise dos anos 2008 e 2009 não teve sua origem nem no mercado imobiliário, nem nas bolhas especulativas nos mercados, mas nos ciclos econômicos.

Outras Notícias