Seminário debate adoção de normas contábeis internacionais

Voltar
A+
A-

Por Coordenadoria de Comunicação Social   |   24 de Fevereiro de 2015

O estágio atual e os desafios da aplicação das normas internacionais de contabilidade no mercado de seguros brasileiro e a sua relação com os requerimentos de solvência exigidos pela Susep irão a debate no seminário “Desafios Contábeis e Regulatórios com a Convergência ao IFRS no Mercado de Seguros”. O evento é promovido pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), da Escola , em parceria com a Faculdade de Administração e Ciências Contábeis (FACC), da UFRJ.

Para apresentar o seminário foram convidados os especialistas Adriano Rodrigues, doutor em Controladoria e Contabilidade pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, da USP, e professor de Contabilidade e Finanças da UFRJ; Gabriel Caldas e Rodrigo Curvello, mestrandos em Ciências Contábeis pela UFRJ e pesquisadores com experiência em contabilidade financeira, com foco em IFRS.

“O projeto IFRS 4 deve ter a proposta de sua segunda fase concluída neste ano e a expectativa é de que haja grande impacto sobre a estratégia operacional das empresas de seguros. Portanto, a participação do mercado de seguros nacional nessa discussão é fundamental, e a realização de seminários como esse nos ajudam a trocar experiências e encontrar soluções para as situações que iremos enfrentar”, afirma Claudio Contador, diretor do CPES.

O evento está marcado para 5 de março, no Rio de Janeiro (RJ), às 18h30, no auditório da Escola, na Rua Senador Dantas, nº 74, 4º andar, Centro. A participação é gratuita, basta se inscrever aqui. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (21) 3380-1612 ou e-mail nataliaoliveira@esns.org.br.

Sobre o IFRS. Os padrões de contabilidade internacional, conhecidos como IFRS, são pronunciamentos contábeis internacionais publicados pelo International Accounting Standards Board (IASB), baseados em princípios, em vez de regras específicas. O objetivo dessa convergência, adotada pela União Europeia e por vários outros países, como o Brasil, é prover informações contábeis transparentes e comparáveis, independentemente do país de origem.

Outras Notícias