XVI CONEC: CORRETOR É DESAFIADO A REFORÇAR EMPREENDEDORISMO

Voltar
A+
A-

Por Sincor-SP   |   10 de Outubro de 2014

O avanço do setor nos últimos anos teve como propulsor o corretor de seguros, entretanto, a categoria precisa se empenhar para reforçar seu empreendedorismo e mostrar que é indispensável no processo de distribuição de seguros. O tema foi debatido no painel “Força da cadeia produtiva” por importantes personalidades do mercado de seguros.

O presidente em exercício da Fenacor e presidente da Escola, Robert Bittar, lembrou que o grande estimulador do avanço do mercado é o corretor e fez um alerta para que o profissional não se intimide e busque novos ramos para empreender. “Aconteceu com a previdência privada. O corretor não quis investir, pois achava muito complexo, mas o ramo cresceu, e foi através da comercialização dos bancos”, declara.

Para o superintendente da Susep, Roberto Westenberger, o empenho do corretor de seguros é que vai garantir a permanência da categoria no mercado. “Não vai ser a legislação que vai assegurar o lugar do corretor no mercado. O próprio profissional tem que mostrar ao consumidor que é indispensável para a sobrevivência desta forte indústria”, pontua.

O superintendente ainda se diz otimista quanto ao crescimento do mercado este ano em comparação com o PIB nacional e lembrou que a estimativa para o fechamento também é positiva, girando em torno de 10%.

O tema foi discutido ainda pelo presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo, pelo presidente da CNseg, Marco Antônio Rossi, pelo superintendente da Susep, Roberto Westenberger, pelo deputado federal, Armando Vergílio, e pelo advogado e corretor de seguros, Antônio Penteado Mendonça.

Outras Notícias