ESCOLA NACIONAL DE SEGUROS

ACESSO

  • Home
  • / Notícias
  • / “Em 2016, produzimos respostas às demandas que o mercado apresentou”

03/01/2017 15h15

“Em 2016, produzimos respostas às demandas que o mercado apresentou”

Estruturação, ataque e entrega. Assim pode ser definido o ano da Diretoria de Ensino Superior da Escola Nacional de Seguros, que passou por reestruturação, promoveu mudanças na relação com o mercado de seguros, lançou novos produtos e já se prepara para os desafios de 2017.

Para o diretor da área, Mario Pinto, o ano foi de muito esforço e conquistas. “Em 2016, produzimos respostas às demandas que o mercado apresentou”.

Quais foram os destaques da diretoria de Ensino Superior neste ano?

Falando em números, tivemos 158 novos alunos no Bacharelado em Administração, no Rio de Janeiro e em São Paulo, onde pela primeira vez abrimos três turmas em um único ano.

Nos cursos de MBA, lançamos novas turmas no Rio, em São Paulo, em Porto Alegre e em Recife, somando 188 novos alunos.

Ampliamos nosso portfólio de cursos de extensão baseado em disciplinas do MBA, em paralelo aos já tradicionais, que abordaram temas como Gestão, Novo Código de Processo Civil, Direito de Seguros e Compliance, alcançando 260 alunos.

Uma de nossas grandes conquistas foram os MBAs contratados pela Bradesco Seguros, com disciplinas customizadas, no Rio de Janeiro e em São Paulo. Como se trata de um grande player do mercado, esse curso dá uma imensa visibilidade à Escola e nos capacita como um grande fornecedor de soluções educacionais de alto nível.

Todos esses resultados coroam um processo que teve origem no começo do ano, e só deu certo por conta do esforço e da competência da equipe.

Outro esforço da Escola que rendeu bons frutos foi o Ressignificando o Futuro, uma ação de responsabilidade social que resultou em uma parceria com a ONU e nos deu muita visibilidade. Realizamos o documentário CenaRIO – Sustentabilidade em Ação, produzido pelos alunos do bacharelado, que demandou esforços internos de muitas áreas.

Na área de parcerias, iniciamos um projeto com o IFoA (instituto de atuária da Inglaterra), para realização de cursos e exames para certificação internacional em atuária, e pretendemos expandir o escopo de atuação no próximo ano.

A Escola está lançando novos produtos de Ensino Superior, que são o Tecnólogo em Gestão de Seguros e o MBA a distância. Como você avalia o resultado desse trabalho?

O MBA a distância é visto como uma grande conquista e tenho certeza que essa plataforma vai ser tão exitosa quanto a presencial. O desenvolvimento do curso envolveu todas as áreas da Escola e agora ele está totalmente estruturado. Estamos aguardando apenas o parecer do MEC para lançá-lo.

Já tínhamos cursos on-line, mas esse é o primeiro nessa proporção. É uma fase de maturidade da Escola. Uma vez que o MEC nos autorize, a ideia é lançar novos cursos no formato virtual. Porque entendemos que esse é o caminho para o ensino. Isso acontecendo, abriremos uma grande porta para criar e apresentar novos produtos ao mercado.

Estamos passando por outra etapa igualmente ampla e complexa, que é o lançamento do Tecnólogo em Gestão de Seguros, uma graduação que concede, em apenas dois anos, diploma de nível superior. O curso nos demandou um trabalho não trivial nas áreas acadêmicas, na comunicação e na administração.

Achamos que esse é um produto adequado para o Rio de Janeiro e, por questões de mercado, decidimos lançá-lo primeiro na cidade. Tendo sucesso, será replicado para São Paulo.

Neste ano, a Diretoria de Ensino Superior passou por uma reestruturação e modificou muitos processos. O que pode ser destacado nesse âmbito?

Aconteceu muita coisa na Diretoria em 2016, foi um ano de mudanças em nossa estrutura e também na relação com outras áreas da Escola e com o mercado. Contratamos novos profissionais e criamos uma Gerência de Logística, uma Coordenadoria de Tecnologias de Ensino-Aprendizagem e montamos uma equipe Comercial em São Paulo.

Também realizamos um mapeamento de processos que nos acompanhou praticamente o ano todo. No escopo da área Comercial, criamos um call center de vendas com perfil mais ativo, e redefinimos o atendimento receptivo.

Foi muito trabalho abaixo da língua d’água se compararmos com um iceberg. Essas ações muitas vezes não aparecem para quem está do lado de fora, mas são fundamentais para o funcionamento da área e têm um impacto muito importante no resultado final.

A Diretoria também adotou uma nova estratégia na captação de alunos. Qual foi o resultado dessa ação?

Adotamos uma nova postura com o mercado e começamos a agir de forma mais direta na captação de alunos, até por conta da estruturação que fizemos na área Comercial. Realizamos um esforço muito grande para que, uma vez organizada a casa internamente, pudéssemos ir a campo e alcançar novos alunos.

Promovemos trabalhos sistemáticos de visitas e estreitamento de relações com clientes e organizações. Estivemos muito presentes nos Sindicatos das Seguradoras e na CNseg, para ampliar o contato com as empresas representadas nessas entidades.

Também fomos a campo com a nossa equipe, que fez um trabalho intenso de oferta dos nossos produtos. Com isso, estabelecemos contato direto com muitas empresas do setor, por meio de diferentes canais.

Após essa captação, tivemos que dar o retorno. Estruturamos propostas compatíveis com as solicitações oriundas dessas visitas e desenvolvemos uma enorme gama de produtos para atender a essas demandas.

Foi e continuará sendo um processo de construção conjunto, com as respectivas áreas técnicas, comerciais e de recursos humanos. Podemos dizer que produzimos as respostas que o mercado solicitou.

Quais serão os principais projetos da diretoria para 2017?

Na área de ensino a distância, uma vez aprovado o primeiro MBA, nossa intenção é desenvolver outros cursos dessa categoria na plataforma, além de já iniciar o projeto de uma graduação tecnológica. Será um grande projeto, com a complexidade de um curso de ensino superior e da plataforma virtual.

Dessa forma, passaremos a oferecer toda a pirâmide de cursos de ensino superior, com o Tecnólogo, cursos de extensão, bacharelado e novos MBAs, conforme as necessidades do mercado.

Teremos um portfólio muito abrangente e precisamos estar aparelhados internamente para entregarmos o melhor ao mercado. Estamos dando passos muito arrojados, com muitos produtos novos, novas plataformas de ensino e relações de mercado, tudo tem que funcionar corretamente.

O ano de 2016 foi de muita preparação, esforço e vitórias. 2017 se aproxima mantendo a mesma dinâmica. Esperamos ter a colheita das árvores plantadas neste ano e iniciar novos projetos.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social

RODAPÉ

© Copyright Escola Nacional de Seguros (1996-2017) - Todos os direitos reservados